Camarão Moçambique

Penaeus spp

    • Oceano Índico (FAO 51, 57)
      Arrasto de Portas Demersal

    Biologia

    Os Camarões Tropicais são crustáceos que são capturados com redes de arrasto pelo fundo ou criados em viveiros de grande escala. O género Penaeus é de particular importância em contextos de água salgada.

    Pesca Comercial:

    Situação das populações
    Estes camarões reproduzem-se rapidamente e produzem muitos ovos, tornando-os bastante resistente a uma exploração intensiva. No entanto, a pressão de pesca sobre estas populações pode ser muito intensa e em parte não regulamentada. Muitas polulações estão sobreexploradas ou pescada até aos seus limites.

    Efeitos Ecológicos

    A pesca de arrasto destes Camarões resulta em enormes quantidades de capturas acessórias e danos para espécies sensíveis, protegidas ou em vias de extinção, tais como peixes jovens e tartarugas marinhas, corais e outros organismos fixos no fundo do mar.

    Gestão

    Em alguns países, como a Austrália, a gestão da pesca do camarão é bem regulada. Em muitos outros países, as regras existentes são frequentemente mal implementadas ou a pesca permanece completamente desregulada.

    Aquacultura:

    Localização / consumo de água
    Os Camarões Tropicais são produzidos intensamente em aquiculturas do sudeste da Ásia e América Latina. Os sistemas de produção dependem da água doce que é bombeada a partir do ambiente regional levando à escassez de água doce e salinização das áreas circundantes. Além disso, muitas vezes a construção destes locais leva ao esgotamento das florestas de mangais do litoral, provocando danos graves para o ambiente, uma vez que estas constituem viveiros essenciais para peixes e servem a preservação costeira, bem como o fornecimento de matérias-primas. Em Madagáscar, a água doce não é bombeada para os tanques e não são destruídas áreas de mangais para o estabelecimento destas culturas. Os sistemas de produção estão localizados em áreas que são inundadas pela maré; portanto, a água é naturalmente substituída, deixando as reservas de água doce locais intocadas.

    Alimentação/consumo de energia

    Na produção de Camarão, a alimentação é feita à base de resíduos de peixe ou farinha de peixe e óleo de peixe. Os Camarões necessitam entre 1 kg até 3,2 kg de proteína de peixe para a produção de 1 kg de camarão.

    Impactos Ecológicos

    As águas residuais provenientes da aquicultura poluem o meio ambiente com fezes, resíduos de alimentos, produtos químicos, medicamentos e doenças que afetam negativamente as populações selvagens. A produção de camarão certificada deve minimizar o seu impacto sobre o meio ambiente, não usando produtos químicos, medicamentos ou fertilizantes.

    Gestão

    A produção de camarão estão sujeita à legislação do seu país de origem. Em muitos países não existe uma legislação ambiental, ou esta não é efetivamente aplicada. A sua gestão em Madagáscar é muito eficaz. Nas aquiculturas Bio certificadas, as sanções em matéria de proteção ambiental são estritamente controladas.

    Certificação

    A Bio-certificação significa aquicultura amiga do ambiente. Devido aos regulamentos relativos à proteção da água e do ambiente, produtos químicos e medicamentos são utilizados apenas quando necessário. Ao contrário da aquicultura convencional, em aquacultura de camarão Bio-certificada a alimentação provém de fontes certificadas com uma produção transparente. De acordo com o GlobalGAP, a certificação requer a minimização do impacto negativo sobre o meio ambiente, o que nem sempre é viável devido à criação em gaiolas de rede abertas. O GlobalGAP é reconhecível pelo consumidor através do número GGN na parte de trás da embalagem.
    A WWF recomenda peixes de viveiro de aquicultura certificados pela ASC que utilizam ração livre de produtos geneticamente modificados. As explorações aquícolas que são certificadas pela ASC devem cumprir as normas rigorosas para minimizar os impactos ambientais adversos: entre outros aspetos, os habitats sensíveis não podem ser destruídos, a alimentação deve vir de fontes sustentáveis, o uso de medicamentos deve ser regulado e a poluição da água por águas residuais minimizada.
    A sobrepesca contínua ameaça não só o mar, mas os meios de subsistência de 800 milhões de pessoas – muitas delas em países em desenvolvimento. A sua subsistência depende muitas vezes de captura, processamento e venda de peixe e marisco.
    Através da compra de produtos que resultam da pesca amiga do ambiente, você irá apoiar as pessoas que dependem do seu consumo responsável. A pesca sustentável é boa para todos nós: www.fishforward.eu/de

    Pin It on Pinterest

    Share This